“A síndrome pré-menstrual aumenta se houver mais massa corporal”

Publicidade

1. Cada mulher tem alguns sintomas antes da menstruação, mas coincidem a sensação de estar inchada, dor de cabeça e dor nos rins ou seios sensíveis.Uma dieta específica pode ajudar a aliviá-los ou evitá-los?

Publicidade

A síndrome pré-menstrual é comum. Reúne muitos sintomas, de fato, foram descritos mais de 200 sintomas de gravidade diferente. E os estudos que tentam relacionar uma determinada alimentação, uma determinada alimentação com a melhora desses sintomas, não são considerados de qualidade científica suficiente. Então vamos começar a partir desta base. No entanto, existem estudos que avaliam diferentes suplementos, principalmente cálcio, magnésio, vitamina b, vitaminas do grupo b e alguns suplementos do mundo vegetal.

PMS pode ser realmente heterogêneo. Ocorre sempre na segunda fase do ciclo menstrual, mas pode ocorrer mais cedo ou mais tarde dependendo da paciente. O mecanismo exato pelo qual ocorre não é conhecido, mas é verdade que as flutuações no ciclo de estrogênio e progesterona estão na base dessa síndrome e provavelmente são responsáveis ​​por toda uma série de conexões com diferentes neurotransmissores e diferentes sistemas hormonais. levar a esses sintomas.

Publicidade

Há algum estudo recente que relacionou o jejum intermitente de curto prazo com uma melhora nos níveis de cortisol e uma melhora nos sintomas da TPM em mulheres jovens. Quando há predomínio dos sintomas inchaço, retenção de líquidos, tensão nas mamas…; aqui é verdade que vamos recomendar fortemente o reforço desses alimentos que podem ser mais diuréticos como aipo, cebola, abobrinha, vegetais em todas as suas formas, desde cremes até o forno. Podemos combiná-los com carboidratos porque há pessoas que os carboidratos acalmam alguns sintomas. Podemos comer batatas, um pouco de arroz integral, sempre combinado com legumes. Mas vamos nos concentrar em evitar o sal e evitar aqueles alimentos que contém sal, como azeitonas, conservas, anchovas, queijos curados, embutidos, e já os evitamos na síndrome pré-menstrual, mas vamos insistir muito nisso aspecto para pacientes que apresentam esta sintomatologia mais tipo de edema. E também vou te contar que vamos tentar reduzir o sal em pacientes que apresentam mais sintomas depressivos, emocionais, diminuição da libido, insônia…; porque todos esses sintomas também podem ser afetados de certa forma por essa retenção hídrica em todos os níveis. Mas neste segundo grupo de pacientes que podem ter mais sintomas na esfera emocional, neste caso vamos recomendar os alimentos mais ricos em magnésio e triptofano. Neste caso já mencionamos alguns, para nozes de magnésio, chocolate e triptofano neste caso poderíamos recomendar alguns queijos macios, leite, iogurte, laticínios, banana.

2. Dependendo dos sintomas de cada mulher, devo escolher uma dieta ou outra ou dar mais ênfase à escolha de alguns alimentos ou outros?

Publicidade

Pois sim. Como muitas síndromes, sempre falamos de um conjunto de sintomas heterogêneos. Ou seja, uma mulher pode apresentar mais de um tipo e outra mais que outro. Alguns dos mais frequentes podem ser um pouco a sensação de retenção de líquidos, ganho de peso, tensão nos seios. Se esses sintomas predominarem, talvez tentemos garantir que a dieta contenha alimentos conhecidos como mais diuréticos e seja pobre em alimentos que contenham sal, para dar um exemplo. Quando a sintomatologia predominante pode ser mais como ansiedade, insônia, distúrbios emocionais ou depressão, neste caso talvez vamos nos concentrar um pouco mais em alimentos que podem ser ricos em magnésio ou triptofano ou que podem promover a produção do que é gama, ácido gama aminobutírico, para tranquilizar o paciente e, portanto, dependendo da sintomatologia predominante, podemos tentar modular a dieta de uma forma ou de outra. Uma informação que acho interessante destacar é o fato de que a probabilidade de apresentar síndrome pré-menstrual aumenta com o índice de massa corporal, ou seja, há o dobro do risco em pacientes com sobrepeso. Um índice de massa corporal superior a 25.

3. Quais seriam os alimentos recomendados em geral contra os desconfortos causados ​​pelas alterações hormonais?

Sempre consideramos a nutrição e a dieta uma parte fundamental da saúde. Embora não existam estudos muito precisos ou cientificamente de alta qualidade sobre a síndrome pré-menstrual, desde o início o que é aconselhado ao paciente é seguir uma dieta saudável. Neste caso, sempre aconselharemos a redução de alimentos inflamatórios, como açúcares, alimentos processados, álcool, também promoveríamos alimentos frescos e uma coisa muito importante na síndrome pré-menstrual será evitar o excesso de sal e, portanto, alimentos que possam conter muito de sal, como queijos curados, espinafres que também contêm muito sal, tudo o que é enlatado, enchidos que também são processados, vamos aconselhar um consumo muito moderado e muito limitado. Aqui às vezes temos o agravante de que existem pacientes que realmente têm apetite por carboidratos ou açúcares na síndrome pré-menstrual, então bem, vamos aconselhar, tente o máximo possível, bem, siga um padrão alimentar o mais saudável possível possível .

Os alimentos mais recomendados serão alimentos frescos, vegetais e basicamente tudo o que é considerado uma alimentação saudável. Se vamos recomendar laticínios neste caso, também podemos permitir o chocolate por seu teor de magnésio, gorduras saudáveis ​​como o azeite extra virgem, podemos consumir tubérculos como batatas, cenouras, abóboras. E acima de tudo também frutas frescas como parte de uma dieta saudável. Também podemos recomendar frutas secas por seu alto teor de magnésio e tudo dentro de uma dieta moderada, sem excessos. Isso é sempre básico. No final, comer demais sempre pode ser inflamatório e temos que moderar as quantidades.

4. E quais seriam os alimentos que deveriam ser reduzidos ou eliminados da dieta?

Devemos evitar tudo o que não é saudável, desde açúcares a gorduras saturadas, alimentos ricos em sal, gorduras trans, bebidas carbonatadas e açucaradas e carnes processadas. A alimentação mais saudável é aquela que devemos promover, deve ser rica em fibras e não esqueçamos que a dieta mediterrânica, património mundial, é uma das dietas que vamos aconselhar.

5. Em relação às bebidas, devemos beber mais água, menos café e nada de álcool?

Sim, a água potável sempre nos proporcionará um bom estado de hidratação e, neste caso, tanto a cafeína quanto o álcool, o tabaco e o sal e, por exemplo, as bebidas carbonatadas geralmente contêm carbonato de sódio, geralmente contêm sal. Nesse caso não são indicados, vamos lá, são desaconselháveis.

6. Em quais casos as vitaminas ou minerais são recomendados?

Existem alguns autores que aconselham o uso de alho ou curcumina. Existem estudos com certas contradições. Talvez alguns dos suplementos mais recomendados sejam magnésio, triptofano, vitamina b6. Existem alguns suplementos que os levam juntos. Há também estudos sobre o zinco. Há também estudos sobre cálcio e vitamina d. No entanto, não gostamos muito de suplementos de cálcio, preferimos dar suplementos de vitamina D e o cálcio melhor do que aparece na ingestão alimentar como dissemos, com ingestão de laticínios e neste caso laticínios fermentados idealmente com probióticos porque em princípio eles estão mais saudáveis ​​e bem, pouco mais em termos de suplementos. Mas o paciente deve ser sempre individualizado com base nos sintomas que apresenta, avaliando a intensidade dos sintomas e só se não conseguirmos melhorar com o aconselhamento dietético mais geral é que avaliamos os suplementos.

7. Em quais casos são recomendados?

Sempre individualizando o paciente com base nos sintomas que apresenta, avaliando a intensidade dos sintomas e se não conseguirmos melhorar com orientações dietéticas mais gerais, avaliaremos os suplementos. E dependendo da clínica do paciente e da intensidade da clínica do paciente, podemos considerar dar suplementos desde o primeiro momento.

8. E as infusões diuréticas ou anti-inflamatórias?

Podem ser indicados principalmente nos casos em que predominam retenção de líquidos, edema e tensão mamária. Aí, bem, tem vários tipos, desde gengibre com limão até usar cavalinha, abacaxi, talo de abacaxi, por exemplo. Mas também vamos recomendar que a queda nos alimentos salgados, aquela dieta rica em vegetais e frutas que já se supõe ser mais diurética e eventualmente infusões diuréticas também sejam consideradas em pacientes onde possa haver predominância de sintomas emocionais neurocognitivos porque emocionais , insônia, depressão, porque nesses casos edema em diferentes níveis também pode desempenhar um papel e, portanto, também podemos recomendar esse tipo de infusão.

9. De qualquer forma, a medicina hoje se torna integrativa e os sistemas não funcionam isoladamente, certo?

Toda a interação entre o sistema hormonal, sistema nervoso periférico e sistema nervoso central com seus neurotransmissores é fundamental e ainda mais através da microbiota e muitas das ações nutricionais terão efeitos na microbiota, portanto uma das coisas importantes no período pré-menstrual também será o gerenciamento do estresse e o trabalho da psique. O mindfulness, o autoconhecimento também nos levará a uma melhor gestão e não podemos descurar o trabalho nessas esferas de controlo do stress, autoconhecimento, yoga e exercício físico porque todos estes sistemas estão interligados.

Você pode gostar...

Artigos populares...