Saúde sangra Moncloa e afoga o PSOE

Publicidade

O PSOE tem um problema sério com a Saúde. Longe de obter com ela receitas eleitorais, o partido que apoia o Governo está a sangrar eleição após eleição, e os velhos e falsos clichês como a privatização, que antes traziam tantos votos, agora estão sendo retirados, como aconteceu na Andaluzia e meses antes em Madri e na Galiza.

Publicidade

Não. As pessoas não acreditam mais nos discursos banais lançados pela esquerda e estão começando a entender que não há privatização maior da saúde pública do que uma péssima gestão dela como a que faz o PSOE onde quer que ele goveporque pressiona os pacientes a pagar por políticas privadas para evitar vergonhosas listas de espera. Aconteceu em plena pandemia em Castilla-La Mancha e agora está a acontecer em Aragão, dois redutos socialistas que bateram todos os recordes em tempos de atraso cirúrgico e consultas de diagnósticosegundo dados do próprio Ministério da Saúde.

Quase três anos depois de chegar ao poder, a gestão desta zona está a causar graves prejuízos a Moncloa, impossibilitada de reagir neste momento. Começou mal com Salvador Illa, e agora não voltou bem com Carolina Darias, apesar de suas excelentes maneiras e de sua grande gentileza. As leis aprovadas, como a da equidade, não só não corrigem erros como colocam o setor ainda mais contra o governo.

Publicidade

Além do privado enfermeiras, médicos, boticários e a indústria farmacêutica inovadora e genérica estão em pé de guerra contra o Executivo Sánchez. Alguns foram prejudicados. Outros correm sério risco de sê-lo. Mesmo as organizações de saúde tradicionalmente relacionadas à esquerda estão chorando alto com o que veem. Um exemplo disso foi o plano para a escola primária.

Publicidade

Você pode gostar...

Artigos populares...